ÚLTIMAS RESENHAS

Latest in Tech

06 maio 2013

Cinquenta Tons de Cinza ( E. L. James)


Editora: Intrinseca

Autor: E. L. James

Páginas: 480
Nota do Sempre Nerd: 1/5


Quando Anastasia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja - mas em seus próprios termos. Chocada e ao mesmo tempo seduzida pelas estranhas preferências de Grey, Ana hesita. Por trás da fachada de sucesso - os negócios multinacionais, a vasta fortuna, a amada família -, Grey é um homem atormentado por demônios do passado e consumido pela necessidade de controle. Quando eles embarcam num apaixonado e sensual caso de amor, Ana não só descobre mais sobre seus próprios desejos, como também sobre os segredos obscuros que Grey tenta manter escondidos... 

Depois de muito alvoroço em torno do livro, eu enfim decidi conferir e o que encontrei foi uma história totalmente incoerente, com personagens vazios e escrita de péssima qualidade (desculpem-me os fãs do livro, minha intenção não é ofender quem gostou, pois cada um tem uma opinião), mas eu achei o livro bem ruim. Não consigo entender como esse livro vendeu tanto e conseguiu tantos apreciadores, será pelo teor apelativo de sexo? Não sei.

Começando pelo enredo, Anastácia é uma estudante de letras, que por um infeliz imprevisto precisa substituir sua amiga e entrevistar Christian Grey, um magnata do mundo dos negócios, para o jornal da faculdade. Ao chegar na empresa ela é levada para a sala do "dito" e ao entrar tropeça e cai (clichê, não?) e ele magicamente se interessa por ela. A partir daí são páginas e páginas de YA, nada contra, porque eu adoro YA, mas um livro adulto, que tem a pretensão de abordar o tema BDSM, deveria no minimo ter um desenvolvimento mais maduro. 
Anastácia, então, fica contando como se sente em relação a ele e blábláblá e o Christian apesar de persegui-la, sempre solta a  frase: "Eu não sou homem para você Anastácia, você deveria se afastar de mim" um tanto contraditório.

Depois de muito lenga-lenga, ela descobre que Christian é fã de BDSM e mesmo sendo virgem ela topa experimentar.

O livro é cheio de frases e situações que beiram ao cômico, como: "I don't make love, I fuck... hard", e o fato dela ter que assinar um termo de confidencialidade para eles poderem ter qualquer tipo de relação, isso sem falar no contrato que ela tem que cumprir caso decida realmente participar dos joguinhos de Grey. 

Vamos falar um pouquinho das personagens, Anastácia é uma mulher de 21 anos que parece ter 12, sério, nunca vi ninguém tão tapada e lerda, ela é irritante. Christian, que virou a paixão do momento, é um cara arrogante, autoritário e paranoico.

Fora todos esses detalhes a história é cheia de expressões repetitivas (deusa interior?). Cansa e irrita o leitor. Enfim, eu não vou ler a continuação, peço novamente desculpas se ofendi alguém que gosta da trilogia, mas uma autora que tem dificuldade de encontrar sinônimos e gasta mais páginas descrevendo roupas e edifícios do que desenvolvendo personagens, não merece uma segunda chance comigo, então fecho a conta com 50 Tons de Cinza e minha deusa interior agradece aliviada.

2 comentários :

  1. Ele conseguiu ser muito vendido por causa do Marketing em cima dele, simples assim.

    Você, por exemplo, comprou o livro porque tava todo mundo falando e queria saber do que se tratava, não é? É mais ou menos por aí. O mercado fica vendendo essas obras mais ou menos como se fossem a revolução literária do mundo.

    Elder Ferreira, O Epitáfio

    ResponderExcluir
  2. Pior que é exatamente isso Elder. A gente lê por curiosidade mórbida, rs.


    Bj

    ResponderExcluir