Header Ads

Header Ads

Eu Estive Aqui (Gayle Forman) - Ed. Arqueiro

Série: -
Editora: Arqueiro
Autor: Gayle Forman
Páginas: 240
Nota do Sempre Nerd: 4/5

Post válido como ponto extra para O Sorteio O Despertar do Príncipe  #Especialeditoraarqueiro
Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal?
A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos.
Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo... e de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida.
Eu estive aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível.


Esse livro vai tratar de um tema muito pesado e infelizmente muito atual: o suicídio. De forma comovente e viciante a autora conduz o leitor para uma história triste e repleta de reflexões.

Esse livro conseguiu prender a minha atenção logo na primeira página, começando pelo fato da escrita da Gayle ser é super rápida e envolvente, apesar da trama tensa, e segundo porque eu queria entender juntamente com  a Cody porque Meg tinha feito aquilo, o que levou aquela garota que aparantemente tinha tudo para ser feliz, tirar a própria vida? 
Eu senti grande empatia pelas duas garotas, a história me tocou bastante, principalmente por conter um tema tão presente na vida dos jovens.

Conforme Cody investiga a morte de Meg, ela começa descobrir muitas coisas sobre a amiga que ela nem imaginava. Em muitos momentos ela se sente culpada por não perceber nem um indicio de que Meg iria se suicidar e em outros momentos ela sente raiva e frustração por Meg ter feito isso. O que mais gostei em Cody foi essa reação tão humana e verdadeira, que a personagem transmitiu. 

Gostei também da forma clara e real de como a autora decidiu abordar o tema e principalmente a explicação final sobre o motivos do suicídio de Meg, que foi algo bem concreto. Isso mexeu ainda mais comigo, me senti tão solidária e envolvida pela dor da família de Meg, que era como se eu estivesse na história também, partiu meu coração. Foi muito interessante, pois Gayle Forman além de nos apresentar uma história linda e triste, também fez um alerta, não só sobre as doenças piscológicas, mas também sobre os cuidados que é preciso tomar em relação as redes sociais que muitas vezes podem acabar desviando quem precisa de ajuda.

Só não avalei com mais estrelas, pois apesar da parte investigativa ter ficado super tensa e viciante, não engoli o fato de a policia ter deixado passar provas e dados importantes que constavam no computador da Meg e uma garota de 18 anos ter encontrado tudo. Outra coisa que também não desceu foi o romance, eu achei bem insosso e acabou me irritando um pouco.

No entanto, é um ótimo livro. Gayle assim como John Green sabe conversar com os jovens, ambos têm uma escrita e uma linguagem que falam com o leitor e eu indico muito esse livro para os jovens, vale muito a pena refletir sobre tudo o que a autora quis passar.

Uma história linda, comovente e capaz de nos causar grandes reflexões.

#Especialeditoraarqueiro
Esse post é válido como ponto extra para participar do Sorteio O Despertar do Príncipe?
Para participar é só se inscrever no formulário. Leia sobre as regras do sorteio AQUI.

5 comentários:

  1. Aline!
    Li outros livros da autora, mas eram romanceados.
    Aqui é um mistério a morte da amiga e falar em depressão e suicídio é um tema forte e tem de ser bem abordado.
    Difícil mesmo a polícia deixar passar pistas importantes e a protagonista ter resolvido o caso.
    Ainda assim quero ler.

    “Quanto mais nos
    elevamos, menores parecemos aos olhos daqueles que não sabem voar.”(Friedrich
    Nietzsche)

    cheirinhos

    Rudy

    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  2. Oi! Esse tipo de livro geralmente não me atrai muito (especialmente porque sei que vai me fazer chorar, então eu os evito), mas a história pareceu bem interessante. Já tive uma pessoa próxima que se suicidou, e é difícil não se sentir culpado por deixar isso acontecer (mesmo que a escolha seja unicamente daquele que toma esse caminho). Mas, na verdade, o que me chamou a atenção no livro foram os mistérios sobre o que levou a guria a tomar tal decisão; fiquei bem curiosa, pra ser sincera, huahauhauaha. Talvez essa curiosidade me leve a ler esse livro mais no futuro, mas parabéns pela resenha e pelo blog :D


    Bjs da Cami
    mynerdbubble.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Quando soube do lançamento do livro da Gayle Forman eu fiquei bem curiosa, ainda mais pelo tema. Queria ver como a autora tratou do assunto, que nao é nada facil.
    A parte da investigação, nao sabia que a policia tinah deixado passar tantas coisas e que a protagonista que descobriu, acho que foi a forma da autora de deixar as duas mais ligadas. E esse romance nao entendi mto bem no livro, se nao fosse pra desenvolver, talvez fosse melhor ter deixado de lado, ne?!
    Ainda quero mto ler, achei a capa linda com as fotos das moças, mostrando a amizade delas.

    ResponderExcluir
  4. Já li algumas resenhas sobre esse livro e achei bem interessante. Gostaria muito de ler.

    ResponderExcluir
  5. ana caroline bastos17 de setembro de 2015 10:42

    Achei a capa feia, e apesar de ter gostado do suspense sobre a Meg , não leria esse livro, parece ter muito drama, e não é meu estilo favorito.

    ResponderExcluir

Disqus for Sempre Nerd